O novo perfil profissional do gestor de TI

perfil-do-gestor-de-ti

Com a evolução da tecnologia da informação e as possibilidades trazidas por ela, mais e mais empresas começaram a se interessar e adotar suas tecnologias. Assim, eram criados os primeiros departamentos de TI dentro das companhias e nascia a figura do gestor de TI, profissional responsável por comandar esses departamentos.

Inicialmente, ela era responsável pelas questões técnicas do setor e tinha como obrigação saber de tudo. Era quem comprava equipamentos e softwares, negociando com fornecedores e lidando com o orçamento; guiava a instalação e implementação de soluções, fazendo ele mesmo ou contratando profissionais para isso; e trabalhava ativamente no desenvolvimento de estratégias dentro do setor, mas ficava restrito apenas ao lado técnico.

Porém, desde então a área de tecnologia da informação evoluiu imensamente, forçando que esse profissional fosse além das tecnicidades do setor. Assim, nasceu o novo perfil de gestor de TI, que conheceremos no artigo a seguir. Acompanhe e entenda o que mudou e como você, gestor de TI, pode se adaptar aos novos tempos. Boa leitura!

A nova tecnologia da informação

Para entendermos melhor qual é o novo perfil profissional do gestor de TI, temos que saber como ela, a tecnologia da informação, tem mudado. Pois ocorreram muitas mudanças no setor nos últimos anos.

Primeiramente as novas tecnologias, como o Cloud Computing, Analytics e Mobility, que chegaram revolucionando a área de tecnologia da informação por completo. Com elas, hoje, os servidores e a estrutura de hardware como um todo estão sendo trocados pela nuvem. A aquisição de software já não é mais um problema com o Software-as-a-Service. E as mudanças trazidas pela mobilidade corporativa como o BYOD transformaram a forma como as equipes trabalham e se relacionam.

Além disso, com um mundo cada vez mais digital e online, o setor de TI deixou de ser apenas um mero suporte para questões de tecnologia e passou a ter cada vez mais importância dentro das empresas. Agora, a tecnologia da informação está no centro das atenções dentro das corporações e participa ativamente de todo o planejamento estratégico. Hoje, a TI faz parte da empresa como um todo, em todos os departamentos.

Com todas essas mudanças, dá pra perceber que o gestor de TI não pode ficar preso ao tradicionalismo, ele precisa se reinventar. E é exatamente o que ele tem feito. Transformando assim, o seu perfil de gestor como um todo.

Abaixo, entenda melhor toda essa transformação.

O perfil profissional do gestor de TI e as novas tecnologias

Uma das principais mudanças sofridas pelo setor de TI nos últimos anos foi a crescente adoção do Cloud Computing. Essa tecnologia chegou e chegou para ficar. Já nem se especula mais se ela é realmente confiável ou se todos os seus benefícios são mesmo reais.

Hoje, a computação em nuvem é uma realidade e o número de empresas migrando suas infraestruturas de TI, parcial ou completamente, para a nuvem não para de subir.

Com isso, o gestor de TI, que antes era o responsável por comprar e manter atualizados o hardware e os softwares do setor, agora pode se despreocupar dessa função e dedicar todo o seu tempo em alcançar os objetivos desejados.




Além disso, o gestor de TI, hoje, tem mais liberdade para testar novos conceitos e inovar, mesmo com poucos recursos. Tudo graças a agilidade e ao ótimo custo benefício proporcionados pelo Cloud Computing.

Outra função tipicamente desempenhada pelo Gestor de TI e que vem mudando, é a adoção de medidas de segurança. E com as atualizações de servidores que antes eram necessárias, essa era uma tarefa um tanto quanto complicada.

Com o Cloud Computing, qualquer ameaça à segurança é barrada antes que qualquer dano seja causado. E sem as complicações que as estruturas de servidores traziam!

Para além da nuvem

Se uma única tecnologia pôde mudar tanto assim o perfil profissional do gestor de TI, imagine uma combinação de todas as outras que têm chegado ao mercado. A mobilidade corporativa, por exemplo, coloca esse profissional num limiar de gestão de equipes nunca antes visto.

Com a adoção cada vez maior do BYOD,  essa gestão precisa se reinventar e inovar a forma como os profissionais trabalham e se relacionam. E sem se descuidar com a segurança!

Mas não são só as novas tecnologias que têm mudado o perfil profissional do gestor de TI. Outras questões também vêm desafiando o gestor e transformando a forma como ele trabalha.

Geração Y e a gestão de pessoas

Uma delas é a geração Y, pessoas nascidas entre 1980 e 1995 e que cresceram junto com a ascensão da tecnologia como força transformadora do mundo.

Sempre conectados, esses jovens questionadores, a favor da sustentabilidade e que priorizam a experiência em detrimento da posse, têm chegado aos montes ao mercado de trabalho. Trazendo inúmeros desafio aos gestores.

Eles são inquietos, desconhecem os níveis hierárquicos e não costumam ter capacidade de planejamento. Isso, aliado ao choque entre gerações no ambiente de trabalho, coloca o gestor em uma posição difícil. Pois ele precisa gastar mais tempo gerindo pessoas do que planejando.

E essa é, definitivamente, a maior mudança sofrida pelo perfil profissional do gestor de TI. Aquele estereótipo de profissional introspectivo, calado, grudado aos computadores, não pode mais existir!

Atualmente, o gestor de TI precisa saber lidar com as suas equipes de trabalho da melhor maneira possível. Hoje, mais do que técnico, o gestor de TI precisa ser um verdadeiro líder dentro dos seus locais de trabalho. E isso envolve algumas características imprescindíveis que têm passado a fazer parte do perfil de gestor de TI:

Saber negociar e resolver conflitos:

Com o embate de conhecimento e experiência entre as gerações no ambiente de trabalho, conflitos irão ocorrer. E o gestor precisa saber lidar com eles da melhor maneira possível. Do contrário, corre o risco de perder profissionais inovadores ou experientes, por conta de coisas mínimas.




Tanto os profissionais mais novos, que trazem ideias novas e conhecem o novo mundo, quanto os mais experientes, que entendem como o negócio funciona e conhecem todos os seus processos, tem muito a oferecer e é trabalho do gestor saber administrar esses dois grupos de colaboradores para extrair o melhor de cada um deles. Assim, o negócio só tem a ganhar.

Habilidades interpessoais e de comunicação:

Habilidades interpessoais e de comunicação também são imprescindíveis ao novo perfil de gestor de TI. Isso porque elas, além de ajudarem na resolução de conflitos, auxiliam no gerenciamento de projetos, aumentam a produtividade e a colaboração entre os colaboradores e melhoram o clima organizacional como um todo.

Mas quais são essas habilidades? Basicamente, ser um bom comunicador envolve saber ouvir, pois só assim é possível realmente entender o outro; saber a maneira e hora certa de passar a mensagem, levando em conta também características do interlocutor; saber ouvir críticas e receber feedbacks, pois somente assim é possível evoluir; e, especificamente para gestores, saber delegar tarefas e projetos, o que envolve conhecer bem as habilidades de cada colaborador e cada equipe.

Gestão de carreira:

Independentemente da geração do profissional, se ele agrega valor à empresa, precisa ser recompensado. E para a geração Y, já não basta um aumento e um tapinha no ombro. Pois eles querem status, valorizam o “eu”, necessitam de afirmação social e isso demanda novas formas de recompensa.

Por isso, o novo perfil de gestor de TI envolve também saber quando e como recompensar seus colaboradores para mantê-los engajados com a empresa. E essa, definitivamente, não é uma tarefa simples. Pois é preciso acompanhar e analisar o trabalho de cada colaborador e saber qual tipo de retribuição melhor se encaixa em cada um deles, além, claro, de entender o negócio tomar ações baseado em números concretos.

Foco no ser humano:

Pessoas não são máquinas! Elas têm sentimentos, expectativas, emoções, precisam ser ouvidas. Elas são seres humanos e precisam ser tratadas como tal! O gestor de TI, com a sua nova função de gerir pessoas, precisa saber ouvir e se colocar no lugar do outro; precisa saber ponderar e avaliar variáveis antes de tomar decisões.

Assim, é necessário fugir cada vez mais do estereótipo do chefe tradicional. Essa figura centralizadora, temida, que não sabe ouvir ou pedir conselhos e que vive da sua sala dando ordens e punindo os colaboradores já não tem mais vez no cenário atual da TI e do mercado como um todo.

Ao contrário, o gestor de TI precisa buscar ser um líder, que sabe conduzir e inspirar seus subordinados, dando ele mesmo o exemplo; que sabe ouvir e falar, entendo a hora certa de recompensar e de repreender; que entende como buscar e trazer à tona o melhor de cada colaborador, em suas respectivas funções.

Metamorfose de TI

O gestor de TI não é mais o mesmo de alguns anos atrás, a profissão se transformou por completo. E assim como a tecnologia, ela vai continuar em constante transformação. O gestor de TI de amanhã não será o mesmo de hoje. De modo que podemos incluir mais uma entre as características do novo perfil do gestor de TI: a capacidade de se transformar.

E você, gestor de TI, precisa se manter atualizado para conseguir acompanhar toda essa evolução. Para isso, não deixe de acompanhar as matérias aqui da Host One. Assine também a nossa newsletter. Através dela te entregamos conteúdo fresquinho diretamente no seu email!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *