Conheça 9 benefícios de utilizar Linux na sua empresa

Conheça 9 benefícios de utilizar Linux na sua empresa

No mercado de computadores, os sistemas Windows e MacOS são referências para o público em geral e para as empresas. Por outro lado, utilizar Linux no ambiente corporativo traz algumas vantagens relevantes. Existem dezenas de distribuições disponíveis, sendo a maioria delas gratuitas. Atualmente, alguns dos sistemas Linux mais utilizados são: Ubuntu, Linux Mint, Fedora e Manjaro.

Antes de entrarmos nos porquês de utilizar Linux em uma empresa, é preciso compreender do que se trata essa tecnologia.

Primeiramente, o Linux em si não é um sistema operacional, mas um Kernel gratuito, ou seja, o sistema responsável pela comunicação entre o hardware e as aplicações executadas. Com isso em mãos, desenvolvedores utilizam o Kernel Linux para criar os seus próprios sistemas.

Então, além de ser gratuito, quais as vantagens de utilizar uma distribuição Linux em vez de um sistema proprietário, como Windows e MacOS? Bem, a resposta varia de acordo com a necessidade de cada empresa, mas existem pontos que interessam a todos. Vamos lá?

1. É gratuito

Diferentemente do Windows, no qual uma única licença supera os R$400, as distribuições Linux são oferecidas sem custos. Geralmente, ao fazer o download, uma doação é pedida, mas não é obrigatória. A compra de licenças de sistemas operacionais e softwares, como o pacote Microsoft Office, representa um custo bastante alto. Por isso, para as empresas, esse é um diferencial relevante.

2. É mais seguro

A principal vantagem de utilizar Linux é a segurança. Comparadas aos sistemas concorrentes, distribuições Linux são mais resistentes a vírus e malwares. Isso porque a grande maioria delas são direcionados a sistemas comerciais, ao mesmo tempo em que o Linux em si é desenvolvido e atualizado com frequência para evitar ameaças.

Vale lembrar que nenhum sistema é absolutamente seguro, mas distribuições Linux tendem a ser menos expostas a riscos. Por contar com milhares de distribuições, é muito difícil desenvolver vírus para esse tipo de sistema. Assim, os especialistas de TI das empresas têm menos problemas com vírus para resolver e mais tempo para se dedicar a outras tarefas.

Em 2017, por exemplo, o ransomware Wannacry causou prejuízos bilionários em grandes empresas que utilizavam versões desatualizadas do Windows. Se essas máquinas atacadas estivessem rodando Linux, o ataque não teria sucesso.


3. É open source

Os chamados programas open source são programas de código aberto. Ou seja, qualquer pessoa pode acessar o código fonte do software, o que resulta em um grau maior de transparência e confiança. Caso uma falha de segurança seja explorada para a difusão de malwares, a própria comunidade de usuários pode trabalhar nas correções e as liberar para outras pessoas.

Além disso, os fóruns voltados para distribuições Linux são bastante ativos, servindo para tirar dúvidas e discutir problemas. Assim, existem sempre pessoas trabalhando ativamente na manutenção do sistema.

Outro benefício é a transparência. Em softwares proprietários, é comum o armazenamento de dados privados dos usuários para uso em publicidade e outras finalidades. No Linux isso não acontece, já que o sistema é aberto e o seu funcionamento não é propriedade comercial de uma empresa.

4. Tem atualizações rápidas

Em sistemas comerciais, como Windows e MacOS, as atualizações costumam demorar e são liberadas poucas vezes ao ano. Em distribuições Linux, elas são disponibilizadas com frequência para solucionar bugs e bloquear possíveis ameaças de segurança. Assim, todos os pacotes dos sistemas estão sempre nas versões mais recentes e estáveis.

5. Conta com baixa exigência de hardware

Sistemas operacionais comerciais costumam ocupar um espaço considerável de disco. Por exemplo, o Windows 10 exige 20GB de espaço livre para a instalação, enquanto o MacOS Mojave requer 12,5GB. Além disso, ambos precisam de ao menos 2GB de RAM para rodar nos requisitos mínimos.

Distribuições Linux populares, como Ubuntu e Fedora, exigem hardwares semelhantes, mas existem opções bastante leves de sistemas operacionais. O Lubuntu, por exemplo, requer somente 120MB de RAM e 2GB de espaço em disco, além de rodar em processadores como Pentium II e Celeron.

Nos padrões de hoje, dificilmente você vai encontrar no mercado máquinas que não rodem o Windows 10 ou o Ubuntu com fluidez, mas para quem tem máquinas antigas essa é uma ótima solução.

6. É de fácil manutenção

A manutenção de computadores em uma empresa é uma tarefa complexa. Mesmo problemas óbvios podem gerar consequências financeiras indesejáveis.


No Linux, encontrar os problemas do sistema é mais fácil, uma vez que o terminal apresenta mensagens claras de erro. Mesmo que a inicialização gráfica do computador não seja possível, ainda assim pode-se acessar o modo texto para fazer o conserto.

7. É personalizável

Uma vantagem das distribuições Linux é a personalização. Por ser um sistema de código aberto, é possível alterar qualquer propriedade, da interface às opções de desempenho. Para empresas, por exemplo, é possível construir sistemas inteiros personalizados para atender a uma finalidade específica, com a remoção de softwares indesejados e a configuração otimizada para a sua demanda.

A personalização é uma questão tão relevante na comunidade Linux que existem grupos especializados para tratar desse assunto. Assim, os usuários podem deixar fluir a criatividade para mudar a aparência desse tipo de sistema operacional.

8. É fácil de utilizar

Durante muitos anos, foi repetida a ideia de que o Linux é um sistema de difícil utilização, restrito a usuários técnicos. Isso não é verdade. Hoje, distribuições inteiras são desenvolvidas para oferecer a mesma facilidade de uso dos sistemas comerciais. Mesmo softwares exclusivos para Windows e MacOS podem ser instalados em distribuições Linux com facilidade por meio do Wine.

Para empresas, o Linux oferece soluções completas para edição de texto, planilhas, edição de imagens e vídeos. Ou seja, mesmo que a transição para outros sistemas cause algum estranhamento no primeiro contato, não há perda de produtividade por conta deste sistema operacional.

9. É bom para servidores

Por fim, quando falamos de sistemas operacionais para servidores, o Linux tem vantagem. Serviços de nuvem, como os da Host One, Microsoft Azure e AWS, oferecem diferentes distribuições para instalação. Com o uso do programa Samba, esses servidores podem se comunicar com clientes Windows, em uma solução multiplataforma completa.

Gostou do conteúdo sobre as vantagens de utilizar Linux? Entendeu como esse sistema pode ser útil para a sua empresa? Para mais textos assim, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *