Vale a pena usar cloud computing privada?

Vale a pena usar cloud computing privada?

O investimento em computação na nuvem já entrou no radar de várias empresas. Essa tecnologia tem simplificado as políticas de gestão do setor de TI, além de dar mais competitividade para negócios — sem que isso implique em um aumento dos custos operacionais.

Nesse cenário, a cloud computing privada destaca-se pela sua capacidade de dar um nível de controle elevado para o usuário e, ao mesmo tempo, disponibilizar os principais fatores que tornaram a nuvem tão popular. Investindo nesse tipo de solução, a empresa contará com uma ferramenta escalável, de alta performance e controle.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o tema? Então, veja no post de hoje tudo o que você precisa saber para investir na cloud computing privada!

Quais são os princípios da computação na nuvem?

A computação na nuvem é uma tecnologia que utiliza servidores para executar ferramentas de TI. Elas tornam-se acessíveis por meio de conexões web em qualquer lugar do mundo, o que proporciona um nível elevado de mobilidade aos seus usuários.

Ferramentas de sincronização de arquivos, plataformas de desenvolvimento de software e até mesmo sistemas de gestão já são executados em plataformas de computação na nuvem.

Como elas possuem alta flexibilidade, o usuário desse tipo de serviço consegue configurar uma solução personalizada, de acordo com as suas necessidades. Assim, as ferramentas apresentam a melhor performance possível, independentemente do nível de demanda.

Hoje, os serviços de cloud computing dividem-se em três tipos de infraestrutura. Confira quais são!

Infrastructure as a Service (IaaS)

Termo que pode ser traduzido como Infraestrutura Como Serviço, no IaaS a empresa contrata um servidor virtual para atender às suas demandas.

Nesse caso, o prestador de serviços fornece toda a infraestrutura de rede e hardware para o negócio, mas não disponibiliza serviços de software pré-configurados. Eles serão instados pelo usuário de acordo com as suas necessidades.




Platform as a Service (PaaS)

Também conhecido como Plataforma Como Serviço, o PaaS é semelhante ao IaaS. Contudo, além de contratar uma infraestrutura de TI sob demanda, a organização também pagará pelo uso de uma plataforma de software sob demanda.

O prestador de serviços será responsável por toda a gestão da infraestrutura de hardware e software utilizados pelos usuários. Como consequência, a empresa não terá de direcionar recursos para atividades como manutenção de equipamentos ou backup de dados, simplificando os processos de gestão.

Software as a Service (SaaS)

Um dos tipos de cloud computing mais populares do mercado, o SaaS (sigla para Software Como Serviço, em português) é o modelo de computação na nuvem em que empresas pagam pelo licenciamento de um software que é executado na nuvem.

Nesse caso, a companhia sempre receberá a última versão do sistema que estiver disponível. Em alguns serviços, as ferramentas baseadas no SaaS também são instaladas localmente e integradas à web, para a validação contínua da licença de uso.

Tipos de infraestrutura de computação na nuvem

Além dos diferentes modelos de negócio, a computação na nuvem também possui um conjunto de infraestruturas flexíveis, que podem ser adotadas por empresas conforme o seu perfil de negócios. Veja quais são elas!

Nuvem pública

A cloud computing em ambientes públicos é caracterizada por uma infraestrutura de TI acessada por vários usuários. Ela conta com uma interface pública, sendo os recursos divididos por meio de políticas de controle de acesso.

Empresas que contratam serviços baseados na nuvem pública possuem pouco controle sobre a gestão dos recursos de TI. No entanto, como os custos de gestão (que são de responsabilidade do prestador de serviços) são divididos entre todos os usuários, esse tipo de solução tende a ter um custo reduzido quando comparado com outras opções.

Nuvem privada

A computação na nuvem em ambientes privados é aquela em que a empresa tem total controle sobre a infraestrutura de cloud contratada. Em outras palavras, não há divisão de recursos computacionais com outros usuários, sendo o negócio responsável pela gestão de parte da infraestrutura de TI.

Essa solução costuma ser implementada em empreendimentos que buscam uma infraestrutura de alta performance para execução de ferramentas internas ou que necessitam de políticas de segurança personalizadas. Entretanto, o investimento necessário tende a ser maior a médio e longo prazo, quando comparado com a nuvem pública.

Nuvem híbrida

A nuvem híbrida é um modelo de alta flexibilidade, que mescla características da nuvem privada e pública em um único ambiente de TI.




Assim, a empresa conta com uma interface pública, que pode ser utilizada para compartilhar dados com clientes e parceiros comerciais, e uma privada, para uso interno.

Principais vantagens do investimento na cloud computing privada

A cloud computing em ambientes privados tem sido adotada por várias instituições. Diante da necessidade de proteger informações contra ataques e, ao mesmo tempo, manter serviços de TI escaláveis, gestores escolhem essa opção para manterem-se competitivos. Entre os principais ganhos da cloud computing privada, podemos destacar alguns, como veremos a seguir.

Gastos precisos com TI

A computação na nuvem pode causar um grande impacto nos gastos que uma empresa possui com TI. Migrando as suas soluções para um ambiente de cloud computing privada, a companhia pagará pelo acesso aos recursos de acordo com a quantidade de processamento, rede e espaço de armazenamento utilizados.

Como consequência, o valor investido em TI será sempre o mais preciso possível.

Maior escalabilidade operacional

Plataformas de cloud computing privada podem ser escaladas conforme a demanda por serviços de TI for modificada.

Isso deve ser visto como um fator estratégico, uma vez que a empresa sempre contará com o nível de performance necessário para que os seus usuários possam trabalhar sem gargalos e falhas operacionais.

Total controle sobre o ambiente de cloud computing

Muitos serviços de TI demandam ferramentas de gestão e controle personalizadas. Com a nuvem privada, o negócio terá um controle elevado sobre as suas políticas de segurança digital e acesso. Como consequência, a distribuição de regras de controle será ágil e simples.

E aí, gostou das vantagens da cloud computing privada e quer saber como ela pode ser aplicada no seu negócio? Então, entre em contato com um de nossos consultores e escolha a ferramenta ideal, de acordo com o perfil da sua empresa!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *