Proteger Dados: aprenda como blindar seu negócio contra ataques

0
1507
proteger-dados
Tempo de leitura: 14 minutos

Proteger dados de sua empresa é como trancar o carro após estacioná-lo, fechar a porta de casa para sair, guardar a senha do cartão do banco depois que sacar o dinheiro etc. Embora sejam exemplos aparentemente óbvios, quando trazemos para o ambiente corporativo, muitas empresas largam janelas e portões abertos. 

Em outras palavras, proteger dados é uma ação preventiva de segurança e imprescindível para todas as organizações. Aprenda a se proteger, validar testes e as principais ferramentas. Entenda por que investir em ambiente Cloud, também existe vulnerabilidades e como saná-las. Acompanhe o artigo completo! 

Proteger dados: como aumentar a segurança Cloud

Proteger dados é um fator de extrema relevância para empresas de qualquer natureza. Em especial, para as de tecnologia, porque elas oferecem uma gama de serviços que requerem nível elevado de segurança. 

Em outras palavras, os clientes estão em busca de qualidade e de um ambiente seguro para armazenar seus dados. Portanto, pensar sobre essa prática é uma porta para inovar o negócio. Além disso, uma chance de se posicionar de maneira mais competitiva no mercado. Confira a seguir, como aumentar a segurança do servidor Cloud e garantir ao máximo, a proteção de dados.

1. Treine seus colaboradores

A Engenharia Social é uma comunicação persuasiva com objetivo de obter informações confidenciais. Em geral, essa ação ocorre pela interação com as pessoas, com intuito de conquistar primeiro a confiança, para depois atingir o resultado principal. 

No contexto profissional, os engenheiros sociais conseguem se infiltrar nas empresas, acessar informações sigilosas, roubar estratégias de negócio etc. com o propósito de praticar a sabotagem, fraudes e todo tipo de ações ilícitas. Inclusive, muitos Hackers adotam a metodologia da Engenharia Social como ferramenta facilitadora para a prática das invasões. 

No entanto, poucas empresas se preocupam com o tema, porque não tem conhecimento sobre o assunto. Mas, com o alto índice de criminalidade virtual, a conscientização gerou mudanças no plano de negócio. Sendo assim, os treinamentos internos ganharam força e destaque em algumas organizações. 

Por essa razão, é importante refletir sobre a realidade que nos cerca, e a frequência de determinadas ações, para prevenir contra a vulnerabilidade de informações sensíveis. Estar à frente no mercado, significa estar atento a tudo e zelar pela proteção de dados de seu negócio é fundamental. 

Afinal, nos tempos de hoje, a informação tem valor imensurável. Sem dúvida, o avanço da tecnologia caminha em paralelo com a inovação estratégica de ataques cada vez mais sofisticados.

2. Conheça as principais estratégias da Engenharia Social

Por meio de um diálogo estratégico, ele instiga à vítima a passar dados necessários para executar ações que atendam os próprios desejos. Os principais objetivos que os engenheiros sociais visam é obter vantagens, praticar fraudes, conseguir informações, roubar estratégias de negócio, espionar, sabotar, conseguir acesso não autorizado etc.

Essas ações podem acontecer tanto no ambiente virtual, quanto no contexto físico. Por exemplo, conversa informal na mesa do bar, no trabalho, no condomínio, na academia etc. Já no online, as possibilidades são ilimitadas, como a técnica Phishing adotada por muitos.

Por esse motivo, é importante preparar a sua equipe e planejar treinamentos que preparam profissionais para lidar com engenheiros sociais. Isto é, a forte tendência é a evolução estratégica desses ataques. 

3. Saiba como se defender dos ataques

A proteção de dados começa com alguns cuidados importantes que precisamos ficar atentos. A primeira delas é implementar medidas preventivas. A partir disso, uma cultura de proteção de dados passa a ser embutida na corporação. Por consequência, quando as ações preventivas são adotadas em todos os setores, a segurança passa a ser responsabilidade coletiva. Veja a seguir, uma das principais medidas para ser implementadas. 




Política de Segurança da Informação 

Proteger dados começa com a implementação de uma boa Política de Segurança da Informação. Isto é, associar às medidas administrativas, tecnológicas e físicas. Além de promover a introjeção da cultura dentro da empresa. Ou seja, orientar para que todos os setores da organização aplique as medidas preventivas. Padronizar regras de segurança e planejar treinamentos constantes é fundamental.

Treinamento periódico

Para desenvolver treinamentos é importante entender o perfil de um Engenheiro Social e seu comportamento. Em geral, o  autor da prática são pessoas com excelentes domínio da comunicação escrita e verbal, altamente persuasivas e com forte atração pelo poder. Isso significa que operam pela força e agressividade nas suas relações interpessoais e profissionais. Ainda que possam não utilizar a agressão física, usam a intimidação, a manipulação, a sedução e gatilhos mentais para dominar a vítima. 

Portanto, um funcionário ou líder dentro da companhia também pode representar riscos para a segurança. Estar atento e orientar os gestores para identificá-los é uma das recomendações importantes. Se a empresa tiver um setor de Recursos Humanos, o gestor da Segurança da Informação pode se reunir com algum especialista para desenvolver um treinamento mais assertivo. Isso significa desenvolver habilidades de observar e identificar comportamentos com rapidez e adotar medidas de prevenção.

Ferramentas e medidas de prevenção

Para complementar, utilize ferramentas de monitoramento, que inclui controle de acesso, áreas, telefones etc. Além disso é fundamental determinar prazo de validade do crachá de identificação dos funcionários e visitantes. Principalmente, no caso de instalação de algum técnico de fora ou qualquer outro profissional que não faça parte da organização, precisa ser acompanhado. 

Todos que trabalham na instituição precisam ser orientados a não transmitir informações internas. Isto é, nenhum dado pessoal ou confidencial de um colaborador da companhia pode ser compartilhada sem autorização. Por fim, conteúdo impresso, em mídia digital ou de qualquer formato etc. requer cuidado redobrado ao ser despejados no lixo. Adote regras padronizadas sobre a cautela de descarte de papéis contendo evidências do trabalho ou qualquer dado relevante. 

Algumas empresas por exemplo, determinam cláusulas de confidencialidade no ato da contratação do funcionário. Em especial, categorias de organização que atuam diretamente com a segurança, seja digital ou físico, precisam ter essa ética embutida em seu cotidiano profissional e fora dela. 

Porque muita das informações sigilosas vazadas, vieram de fontes internas. Por exemplo, funcionários, profissionais que atuaram na organização no passado, amigos e conhecidos que trabalham na instituição etc. Inclusive, as companhias devem ter cautela com grupos criados em contextos digitais. Por exemplo, Whatsapp, Telegram, Redes Sociais etc. porque são canais extremamente vulneráveis e de fácil acesso. 

Conheça as principais ferramentas de testes para ambiente Cloud

Proteger dados no ambiente Cloud é tão importante quanto em servidores físicos locais. A Nuvem é muito mais segura com suporte altamente qualificado. Além disso, é formado por uma equipe de Especialistas que monitoram e acompanham continuamente. Porém, não garante segurança total. 

Portanto, providenciar ferramentas de testes são essenciais para manter seu negócio protegido. Investir em segurança ainda é a melhor maneira de evitar prejuízos maiores. Veja a seguir as mais utilizadas.

1. Nexpose

A Nexpose faz varredura para identificar vulnerabilidades, como falhas na configuração em diversas plataformas. Ele analisa desde dispositivo até infraestrutura na nuvem. Por meio desse aplicativo, você também detecta vírus, backdoors, malware etc. Também é possível reconhecer serviços web associados a conteúdos mal-intencionados. 

2. SOASTA Cloud Test

Essa ferramenta possibilita aplicar testes funcionais em ambiente web e móvel. Ele realiza simulações e análises ao vivo do desempenho de seu portal. Com isso, facilita na capacidade de identificar e corrigir de forma rápida e precisa. Além disso, permite criar testes sem codificação com agilidade. A ferramenta também oferece possibilidade de planejar para lidar com tráfego alto em dias específicos, como por exemplo, transmissão ao vivo, promoções etc. 

3. Jenkins DEV@Cloud

Fornece uma gama de ferramentas que ajudam na conexão segura. Por meio da nuvem o usuário pode acessar o sistema. Além disso, auxilia a desenvolver, integrar e implantar continuamente no ambiente Cloud qualquer serviço, em várias linguagens.

4. Xamarin Test Cloud

O Xamarin é uma ferramenta que possibilita escrever na linguagem C# e associar a biblioteca de testes NUnit ou Ruby. Por meio da ferramenta é possível executar o teste em milhares de dispositivos. Em cada etapa ele captura a tela de resolução, fornece dados da CPU, uso de memória e tempo de execução do teste. A ferramenta é indicada para aplicativos de dispositivo móveis voltada a testes de interface. 

5. Blaze Meter

Essa plataforma ajuda na aplicação de testes de carga realistas e monitoramento de desempenho de ponta a ponta. A ferramenta analisa aplicativos móveis, sites e APIs. Além disso, os relatórios ocorrem em tempo real e tem desempenho, serviços funcionais, simuladores e uma interface intuitiva. Também é simples de importar, salvar scripts e interpretar relatórios. 

Saiba como validar o teste de vulnerabilidade

Os testes de avaliação de vulnerabilidades servem para identificar rapidamente ataques e alterações nos sistemas. Dessa maneira, eles destroem as ações antes de provocar danos. Eles auxiliam na configuração da auditoria, detectam violações, modificações etc. Para validar seus testes, confira as dicas a seguir.




1. Seguir etapas

Planejar é uma ação que facilita no processo de amadurecimento de qualquer implementação. Afinal, tudo acontece de modo organizado, com uma sequência lógica para alcançar um objetivo determinado. Então, construir um planejamento é seguir passos evolutivos, após a conclusão de cada etapa. 

Sendo assim, a etapa inicial é documentar tudo que fará parte do teste de validação. Por exemplo, a escolha da ferramenta que deseja usar, determinar quem são os usuários autorizados etc. Na etapa seguinte, verifique a vulnerabilidade com as ferramentas selecionadas. 

Além disso, salve todas as saídas delas e analise as vulnerabilidades que representam ameaça. Agora, na etapa final, documente todos os resultados e desenvolva relatórios para registrar e corrigir as vulnerabilidades. 

Em resumo, verificar e validar esses testes mantém o sistema seguro de qualquer ataque. Além disso, o uso de ferramentas agiliza o processo de análise em poucas horas. Principalmente, porque possibilita configurá-las para executar automaticamente, o que otimiza o tempo de seus colaboradores. 

2. Validar para IaaS e SaaS

Para quem trabalha em ambiente Cloud e opta pelo modelo IaaS, tem a opção de gerenciar por conta própria. Entretanto, vale lembrar que quando o cliente escolhe se responsabilizar pela gestão do sistema, é fundamental implementar um plano de atualização e correção. 

Ou seja, é imprescindível desenvolver o hábito de monitorar constantemente, porque quando detectar uma falha é importante corrigir rapidamente. Além disso, é fundamental efetuar atualizações necessárias de modo periódico. Pois ao ignorar esses detalhes, a máquina virtual abre portas de vulnerabilidade. 

Conforme mencionado anteriormente, a Nuvem apresenta índice maior de segurança para seus dados. Entretanto é importante, tomar medidas de cautela. Do contrário, será tão passível a crimes cibernéticos quanto um modelo de servidor físico. Inclusive, pode até dificultar a identificação do IP de origem, no contexto Cloud, porque há compartilhamento de espaço.

Em geral, quem opta pelo IaaS não autoriza testes em todas as camadas, o que compromete a análise e consequentemente, a proteção do sistema. Já no modelo SaaS, as Hospedagens oferecem a opção de gerenciamento, o que garante mais segurança. Pois, são administradas por uma equipe especializada e ética. Dessa maneira, ela cuidam de toda segurança e realizam todos os testes necessários.

3. Realizar auditorias

Se você busca pela máxima proteção de seu negócio, precisa acompanhar as tendências do mercado. Porque o processo de segurança acontece de maneira integrada. Isto é, identificar falhas e executar as etapas de testes apenas, não garantem proteção. Mas, monitorar, desenvolver testes e efetuar ajustes continuamente é que determinam uma verdadeira proteção para seu ambiente. 

Portanto, realizar auditorias vai além das atividades isoladas. Isso significa que as ferramentas, também só desempenham resultados potentes quando estão integrados com outras ações. Apenas dessa maneira é que podemos traçar as melhores soluções e criar um ambiente de proteção preparado para qualquer estratégia sofisticada de ataque. 

Em suma, proteger dados contra ataques cibernéticos é um desafio que exige domínio sobre técnicas da Engenharia Social, Ferramentas de Testes de vulnerabilidade e ambiente Cloud. 

Quer blindar seu negócio de maneira integrada? Proteger dados com uma Hospedagem Cloud é a solução que oferece toda a segurança necessária. Entre em contato sem compromisso e saiba mais. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui