Influência da tokenização na segurança cibernética

0
307
tokenizacao-segurança-cibernetica
Tempo de leitura: 8 minutos

Na medida em que a tecnologia evolui e o mundo se digitaliza, a segurança cibernética tem se tornado um fator cada vez mais importante e necessário. Afinal, nunca tivemos tantas informações a nosso respeito circulando por aí e nas mão de tanta gente. 

Tanto dados básicos quanto informações extremamente sensíveis, como conta bancária e número do cartão de crédito, transitam pela internet e ficam sob posse de diversas empresas. O que coloca a privacidade e a segurança dos usuários em risco.

Vários esforços regulatórios já estão sendo feitos no Brasil e no mundo para guiar e esclarecer o uso de dados pelas empresas e também proteger os usuários. A Lei Geral de Proteção de Dados, sancionada há pouco tempo por aqui, é um belo exemplo.

Contudo, eles não têm sido suficientes para garantir a segurança cibernética dos internautas e os negócios têm enfrentado uma série de dificuldades para seguir as normas estabelecidas.

Para atingir ambos os objetivos, muitas empresas estão apostando na tokenização, que conheceremos em detalhes abaixo. Confira!

Mas afinal, o que é tokenização

A tokenização é um processo que transforma dados sensíveis, como é o caso do número do seu cartão de crédito, em uma série de símbolos inteligíveis chamados de tokens. Assim, por exemplo, o nome João da Silva se tornaria XC>35 e o número da sua conta corrente 058040556-7 se transformaria em FG!KL12 após a tokenização.

Dessa forma, mesmo que um criminoso consiga acessar o banco de dados da empresa ou interceptar essas informações enquanto elas transitam pela rede, tudo o que ele poderá ver serão símbolos que não farão qualquer sentido.

E o melhor é que, diferentemente da encriptação, não é possível reverter um token à sua informação originária. Isso pois, embora existam várias abordagens para a criação de tokens, na maioria das vezes eles são gerados de forma aleatória e sem nenhuma relação matemática com os dados originais.

Estes ficam guardados dentro da empresa, juntamente com seus tokens correspondentes, em uma instalação altamente segura, criptografada e protegida por firewall. Desse modo, apenas usuários autorizados têm acesso às informações reais.

Como a tokenização funciona

Para que você entenda melhor como a tokenização funciona, vejamos um exemplo desse processo nos pagamentos, principal área em que ele está sendo utilizado atualmente e já está se estabelecendo.




Quando você faz uma compra, seja ela online ou não, utilizando um meio de pagamento com tokenização, como é o caso das e-wallets(Samsung Pay, Apple Pay, Google Pay…), os dados do seu cartão são inseridos na transação tokenizados.

O estabelecimento comercial, então, passa os tokens ao adquirente que os repassa à bandeira do cartão. Só então a bandeira consulta o TSP(Token Service Provider) e os dados são destokenizados. A partir daí as informações como número da conta ou do cartão de crédito são repassados ao banco emissor, que autoriza a transação.

Repare que durante todo o processo, desde a compra até a autorização pelo banco emissor, os dados do usuário ficam tokenizados. Ou seja, mesmo que qualquer uma das empresas envolvidas sofra um ataque ou os dados sejam interceptados, eles estarão completamente seguros.

A influência da tokenização na segurança cibernética

O setor de pagamentos é hoje o principal explorador dos tokens, principalmente por conta da sensibilidade das operações. Porém, a tokenização pode e já está sendo explorada por diversas outras áreas, incluindo a computação em nuvem.

Abaixo, você entende melhor como isso está acontecendo e como a tokenização têm influenciado – e melhorado – a segurança cibernética tanto para as empresas quanto para os usuários. Continue acompanhando e confira!

Pagamentos

A segurança sempre foi um dos maiores obstáculos para o setor de pagamentos no Brasil e no mundo, principalmente no ambiente mobile, cada vez mais usado pelos consumidores e consequentemente mais explorado pelas empresas.

Contudo, seja no estabelecimento físico, no site ou no celular, a tokenização tem o potencial de tornar os pagamentos muito mais seguros paras as empresas e usuários e eliminar esse obstáculo que afasta muitos consumidores.

Com tokens circulando pela rede e sendo armazenados em nuvem ao invés dos dados reais dos clientes, todas as operações são blindadas contra a ação de hackers e fica mais fácil para o negócio cumprir as normas de segurança de dados estabelecidas.

Para os consumidores, além de mais segurança a tokenização também proporciona mais praticidade. Afinal, é muito mais fácil realizar pagamentos com tokens do que digitar sequências gigantes de números, CVV, senhas e etc..

Para as empresas, as vantagens também vão muito além da segurança, já que com mais praticidade para o consumidor, fica mais fácil realizar vendas e uma série de obstáculos são retirados da jornada de compra, como é o caso do checkout. 

Segurança cibernética de dados na nuvem

Já faz tempo que a computação em nuvem deixou de ser tendência e se estabeleceu como uma ótima solução para negócios e demandas de todos os tipos. Contudo, muitas empresas estão retardando a adoção da cloud principalmente por conta da sensação de insegurança e falta de controle que existe.




Afinal de contas, na nuvem os dados ficam descentralizados, localizados em vários lugares e dentro e fora do seu firewall. Bloquear o acesso à rede para proteger esses dados não é mais uma opção, pois ela é necessária para acessá-los e compartilhá-los. 

Porém, a verdade é que a nuvem é um ambiente muito mais seguro para o armazenamento de dados do que a maioria das infraestruturas in-house e com a tokenização o nível de segurança alcançado é ainda maior.

Isso pois, com ela, todas as informações sensíveis armazenadas ou em trânsito para a nuvem se encontram completamente decodificadas. Enquanto os dados originais ficam guardados em um cofre ultra seguro dentro da empresa. 

Assim, além de estarem protegidas contra a ação de criminosos, também podem ter o nível de acesso mais bem controlado. O que garante que só as pessoas certas tenham acesso às informações originais, enquanto as demais lidam apenas com os tokens.

Internet of Things(IoT)

A Internet das Coisas(IoT) tem se expandido vertiginosamente em todo o mundo e se tornado uma das principais preocupações para a cibersegurança dos consumidores. Afinal, hoje, carros, geladeiras, torradeiras e até mesmo chuveiros estão conectados à internet, coletando e compartilhando dados sensíveis sobre seus usuários. Entre eles informações como nome, endereço, conta bancária e número de cartão de crédito.

Manter todas essas informações seguras é um desafio e tanto para a IoT por conta do volume massivo com que são coletados, armazenados e compartilhados. Mas a tokenização é uma das soluções para se alcançar esse objetivo, principalmente para as “coisas” com funções de pagamento.

Com os tokens, é possível manter os dados seguros tanto localmente quanto na nuvem ou no trânsito até ela. Considerando que o número de dispositivos conectados à internet deve chegar a 12 bilhões este ano, com muitos bilhões deles aptos para transações financeiras, isso é essencial.

E você, quer saber mais sobre tokenização, segurança cibernética e o universo da TI como um todo? Continue ligado aqui no blog da Host One, pois sempre trazemos matérias cobrindo o tema.

E não deixe de assinar a nossa Newsletter para receber conteúdo fresquinho diretamente na sua caixa de entrada!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui