Garantia de Servidor e Storage: vale a pena renovar?

Garantia de Servidor e Storage: vale a pena renovar?

Renovar ou não a garantia de servidor ou storage? Essa é uma das grandes dúvidas que afligem gestores e gerentes de TI no cenário atual da tecnologia da informação, visto que ambas as opções têm as suas vantagens e desvantagens e os impactos nos negócios podem ser grandes.

No artigo de hoje, discutiremos a questão, tentando entender os dois lados dessa história e oferecendo uma solução que pode ser o fim de questões como essa.

Servidores e Storages

Antes de partirmos para o tema central do texto, vamos entender melhor o que são servidores e storages:

Um servidor nada mais é do que um computador de grande porte, constituído por um ou mais processadores, sistemas, bancos de dados, portas de comunicação e armazenamento de dados, como hard disks e memórias SSD.

O que o diferencia de computadores pessoais é a sua grande capacidade de fornecer serviços ou aplicações para outras máquinas. E esse fornecimento pode ser feito tanto pela internet quanto pela rede interna de uma organização.

Já os storages são, basicamente, um repositório onde os dados das empresas ficam centralizados. Mas eles também podem ter outras funções, como, por exemplo, servidor de arquivos, backup e área de compartilhamento e colaboração.

Os storages são divididos em três tipos. Das (Direct Attached Storage), que são diretamente conectados a computadores e servidores, funcionando como um disco complementar de arquivos; NAS (Network Attached Storage), que é ligado diretamente à rede e roda um sistema operacional próprio, permitindo o compartilhamento e o gerenciamento de informações; e SAN (Storage Area Network), que é uma rede dedicada de armazenamento composta por servidores e storages.

A garantia de servidor e storage

Tanto os servidores quanto os storages são equipamentos caríssimos e contar com uma garantia é fundamental em momentos de imprevistos. Pois se, durante a garantia, qualquer peça do equipamento apresentar falhas, a fornecedora troca a peça de forma rápida e sem custos (já se pagou por isso na compra). O que garante que o serviço ou aplicação hospedada não vai ficar fora do ar por muito tempo.




No entanto, depois que a garantia de servidor ou do storage vence, o equipamento passa a ser de total responsabilidade da empresa. O que pode trazer custos e riscos enormes, principalmente em companhias de grande porte. E a renovação da garantia também costuma custar caro e pode abalar o orçamento.

E aí aparece a dúvida tema do texto: vale a pena renovar? Para encontrarmos a resposta dessa pergunta, vamos entender quais são as vantagens e desvantagens em fazer a renovação.

Vale a pena renovar?

A principal questão a se avaliar é o custo. O custo de renovação e o custo de não contar com uma garantia. O custo de renovação é alto e pode impactar as finanças do negócio. Em alguns casos é até possível comprar um servidor novo e mais moderno com um pouco a mais do que aquilo que se pagaria para renovar a garantia de um servidor velho e ultrapassado.

Mas, por outro lado, o preço por não contar com uma garantia também pode ser salgado. Servidores e storages são máquinas complexas e de alta tecnologia, o que quer dizer que, em caso de uma falha, não será nada fácil saber o que aconteceu sem uma garantia, por exemplo. E os problemas não param por aí. Depois de identificar qual peça está danificada, é preciso cumprir a árdua tarefa de encontrá-la e ainda correr o risco de sua produção ter sido descontinuada.

E mesmo que ela seja encontrada, ainda será preciso esperar dias, senão semanas, até que chegue a empresa. E depois ainda pode ser necessário contratar um profissional para fazer a reposição.

Tudo isso tem um custo e ele vai além do que aquilo que será pago pela peça ou pelo serviço do profissional. Durante todo esse tempo os negócios têm que ficar parados e dependendo do tamanho da empresa milhares podem ser perdidos.

Com uma garantia de servidor ou storage, basta contatar o fornecedor e dentro de algumas horas a falha é identificada, a peça é trocada e o equipamento é restabelecido – com muito dinheiro sendo poupado.

Mas em contrapartida…

Fazer a renovação pode não ser a melhor opção. Quando chega ao fim da garantia original, a maioria dos servidores e storages já estão velhos (no mínimo 3 anos de uso) e, da mesma forma que ficar sem uma garantia pode trazer sérios problemas, ter que pagar (caro) para que esses equipamentos continuem funcionando sem trazer prejuízos pode não ser uma boa opção. 

Uma nova maneira de olhar para sua infraestrutura de TI

Chegamos a esse ponto do texto sem uma resposta para a nossa pergunta e em um claro impasse. Renovar a garantia de um equipamento velho, desatualizado e que necessita de constante manutenção, por um valor alto, não é algo recomendado. Mas, por outro lado, a não renovação da garantia, como já vimos, pode trazer ainda mais prejuízos.




Saímos desse impasse se deixarmos de olhar para esses equipamentos como bens, que se compra e se tem custos para manter, e passarmos a vê-los como serviço:

Com uma infraestrutura como serviço (IaaS), os custos de compra de servidores e storages desaparecem. Você só paga uma mensalidade, por aquilo que efetivamente utilizar. E ainda por cima ganha uma enorme flexibilidade, com recursos que podem ser escalados e reduzidos verticalmente conforme a demanda.

Os custos com manutenção também deixam de existir e você não precisa se preocupar com garantias e renovações. Pois toda a infraestrutura é mantida pela prestadora do serviço e você só precisa se preocupar em utilizá-la da melhor maneira possível.

Além disso, você ainda ganha inúmeras vantagens e benefícios. Com uma infraestrutura como serviço, os custos caem; a produtividade, a segurança e a disponibilidade aumentam; e a recuperação de desastres é mais eficiente. Tudo isso em equipamentos atualizados, configuráveis e cheios de recursos que têm o potencial de revolucionar os seus negócios.

E aí, vale a pena?

Se vale a pena ou não a renovação da garantia de servidores e storages, vai depender da situação atual de cada negócio e de quanto se está disposto a investir, pois de qualquer forma os custos serão altos. Mas uma coisa é certa: mover a sua infraestrutura para a nuvem, passando a usá-la como serviço e não como bem, é uma das melhores alternativas no cenário atual da tecnologia da informação – que requer cada vez mais velocidade, mobilidade, disponibilidade e alta tecnologia. Tudo que o Cloud Computing tem a oferecer.

 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *