Gestão de TI: Quais certificações em TI buscar para você e sua equipe

0
130

Certificações em TI são necessárias? A TI de uma empresa pode abrir mão de profissionais certificados em seus quadros? Em quais certificações investir? Existem certificações para gestão de infraestrutura e para software?

Em princípio, essas são questões sobre as quais o gestor de TI deve ter muita clareza. Por quê? É o que abordaremos neste artigo.

A necessidade das certificações em TI

A lógica é bastante simples:

  • Se sua empresa quer se manter competitiva no mercado, precisa de uma TI eficiente e atualizada;
  • Mas para ter essa TI eficiente e atualizada, a empresa precisa acompanhar as tendências, investir em tecnologia e… em capacitação de profissionais.

Antes de mais nada, a tecnologia da informação vive em constante evolução, com novas ferramentas, técnicas, metodologias e conceitos surgindo em sequência.

Por outro lado, há sempre uma defasagem na formação de profissionais capacitados a lidar com tanta inovação.

Assim, as certificações surgem como o caminho mais direto para a formação de profissionais especialistas nas tecnologias emergentes.

Certificações para infraestrutura e software básico

Atualmente, são muitas as certificações existentes no mercado, para as mais variadas soluções de TI, da infraestrutura a sistemas para usuários finais.

Assim, neste artigo focaremos algumas das principais certificações existentes em gestão de  infraestrutura e em software, afinal, essas são duas estruturas obrigatórias para absolutamente todas as instalações de TI.

Dessa forma, na gestão da infraestrutura de TI, vamos considerar duas certificações que se sobressaem no mercado: ITIL e CObIT.

Do mesmo modo, em relação a software,vamos considerar outras duas importantes certificações, a da Microsoft e a LPI, voltada para ambientes Linux.

ITIL

ITIL (Information Technology Infrastructure Library) é a biblioteca das melhores práticas em gestão de serviços de TI.

Com efeito, ela define todos os processos que envolvem o ciclo de vida de um serviço de TI, da definição à execução, passando pela escolha da solução, pela gestão de mudanças e avançando para a melhoria contínua.




Dessa forma, o conhecimento em ITIL capacita o profissional a implementar e gerir uma estrutura organizada para lidar com todas as fases do ciclo de vida dos serviços de TI.

Entre os muitos benefícios que ITIL traz para as empresas, destacam-se:

  • Melhor alinhamento entre a área de TI e o negócio;
  • Usuários mais satisfeitos com a qualidade dos serviços prestados;
  • Redução de custos, decorrente da maior eficiência no uso de recursos;
  • Gestão mais eficiente dos riscos em TI, como falhas ou interrupções nos serviços;
  • Maior estabilidade do ambiente.

A certificação ITIL

Existem hoje cinco níveis diferenciados de certificação ITIL:

  • ITIL Foundations;
  • ITIL Practitioner;
  • ITIL Intermediate;
  • ITIL Expert;
  • ITIL Master.

Em primeiro lugar, é preciso obter a certificação Foundations, que dá ao profissional uma visão geral sobre gestão de serviços de TI e uma familiarização com o conceito de ciclo de vida do serviço. Ela é pré-requisito para as demais certificações.

A princípio, a preparação para o exame pode ser feita em instituições credenciadas, mas isso não é obrigatório. Existem muitos cursos livres e materiais de estudo disponíveis. O importante é ter conhecimento suficiente para atingir pelo menos 65% de acertos no exame.

Por outro lado, as demais certificações exigem a realização de cursos em instituições credenciadas. Em alguns casos, também é exigido que o profissional já tenha experiência em gestão de serviços de TI.

Se quiser saber mais sobre a ITIL, temos um post exclusivo sobre ele.

CObIT

CObIT (Control Objectives for Information and related Technology) é uma biblioteca de recomendações para a governança de TI.

Ele fornece um modelo de referência para a gestão da TI, em que se inter-relacionam requisitos de negócios, recursos de TI e processos de TI.

Profissionais com conhecimento em CObIT atuam em nível estratégico, moldando a TI aos objetivos da empresa e estabelecendo parâmetros para a sua gestão.

A certificação CObIT

A instituição responsável pelo CobIT em todo o mundo é a ISACA (Information Systems Audit and Control Association).

Atualmente, ela oferece quatro exames para atestar os conhecimentos do profissional em CObIT, sendo a aprovação no primeiro deles um pré-requisito para a realização dos demais.

Os quatro exames disponíveis são:

  • CObIT Foundatios;
  • CObIT Implementação;
  • CObIT Assessor;
  • CObIT Implementação NIST.

Embora continue a recomendar os cursos oferecidos pelas instituições credenciadas, a ISACA passou a admitir que um profissional estude por conta própria para se inscrever nos exames.




Microsoft

A empresa proprietária do sistema operacional líder de mercado oferece diferentes níveis de certificação, como:

  • Microsoft Technology Associate (MTA): voltada para iniciantes, avalia conhecimentos técnicos básicos;
  • Microsoft Certified Solutions Associate (MCSA): avalia o domínio do profissional em relação a uma determinada tecnologia Microsoft;
  • Microsoft Certified Solutions Expert (MCSE): avalia a capacitação do profissional no domínio de soluções complexas envolvendo tecnologias Microsoft.

Dentro da formação MCSA, existem especializações em Windows 10, Windows Server e Cloud Platform, entre outras.

Já a formação MCSE  em Cloud platform/infraestrutura atesta as habilidades na administração de data centers, com especialização em tecnologias de nuvem, gestão de identidade, gestão de sistemas, virtualização, armazenamento e sistemas de rede.

A preparação para os exames de certificação é livre.

Linux

Se no uso doméstico os computadores com sistema operacional Linux ainda representam uma fatia pequena do mercado, embora crescente, no mercado de servidores corporativos a participação do Linux é bem mais efetiva.

Em 1999, a comunidade Linux criou o LPI (Linux Professional Institute), uma instituição voltada para a formação de profissionais certificados nos sistemas GNU/Linux, com reconhecimento internacional.

A certificação LPI

Existem 4 níveis de certificação LPI:

  • Linux Essentials: atesta conhecimentos básicos sobre código aberto e sobre as diferenças entre as diferentes distribuições Linux;
  • LPIC-I: capacita o aluno na execução de tarefas de manutenção por meio de linhas de comando, na instalação e configuração de uma máquina rodando Linux e na configuração básica de redes;
  • LPIC_II: capacita o aluno à administração de pequenos e médios ambientes de rede Linux;
  • LPIC_III: capacita o aluno à administração de redes em ambientes corporativos. Divide-se em três diferentes especializações:
    • Foco em ambientes mistos (com servidores Windows).;
    • Foco em segurança;
    • Foco em alta disponibilidade e virtualização.

As provas de certificação podem ser em papel ou eletrônicas e não há exigências quanto à preparação para a s provas.

Assim, o candidato pode estudar por conta própria ou inscrever-se em um dos muitos cursos disponíveis no mercado.

Conclusão

Tanto na busca de profissionais no mercado quanto na capacitação da equipe interna, as certificações em TI serão cada vez mais determinantes para que a empresa não fique obsoleta e ultrapassada no uso dos recursos tecnológicos em seus processos. As certificações ajudam também a manter sua equipe em um nível de conhecimento mínimo padrão. E você, o que acha das certificações na área de TI, são obrigatórias ou não? Deixe seu comentário abaixo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui