Protocolos VPN: o que você precisa saber?

Protocolos VPN: o que você precisa saber?

Uma VPN é uma forma de desviar o tráfego de rede para um servidor privado, criando uma espécie de túnel para criptografar e tornar a conexão mais segura. Por isso, é uma forma de dificultar tentativas de rastreamento de acesso.

Para executar essa tarefa, são utilizados protocolos VPN. Os principais deles são o OpenVPN, L2TP, PPTP, L2F e IKE V2.

Neste post, vamos conhecer os principais protocolos e saber como escolher o mais adequado para as suas necessidades. Acompanhe!

O que são protocolos VPN?

Para ilustrar o seu funcionamento, imagine um usuário conectado à Internet tentando acessar um domínio. Ao utilizar uma VPN, todos os dados transmitidos pelo computador são primeiro transferidos para o servidor VPN e, em seguida, direcionados para o site desejado.

Assim, a página de destino terá acesso apenas ao IP da VPN, mas não do usuário em si. Em termos de segurança, esse sistema é capaz de criptografar dados pessoais para tornar a conexão mais segura.

Os protocolos de VPN definem como a informação é transferida ao servidor de destino. Entre os mais utilizados, existem diferenças em termos de criptografia, segurança e velocidade. Para conseguir definir a melhor opção para o seu projeto, alguns pontos devem observados, como nível de segurança, velocidade e compatibilidade com sistemas operacionais.

Quais são os principais protocolos VPN?

OpenVPN

OpenVPN é o protocolo mais utilizado atualmente. Ele oferece criptografia de 128 e 256 bits, é capaz de armazenar senhas com até 3 + 38 zeros, além de apresentar alta segurança e estabilidade. Com ele, é possível manter a integridade da conexão sem causar perdas consideráveis de velocidade, um problema comum nesse tipo de serviço.

O OpenVPN tem código aberto, sendo mantido e atualizado pela comunidade. Em relação a segurança, todo o código-fonte pode ser lido e verificado pelos usuários. Por fim, por se conectar em quaisquer portas com base nos protocolos UDP e TCP, ele é capaz de passar por firewalls sem dificuldade.

Por outro lado, o funcionamento desse protocolo é complexo e exige atenção em sua instalação. Existem clientes privados de VPN que facilitam a etapa de configuração, mas costumam ser pagos.

PPTP

A história do protocolo PPTP começa em 1995, quando a segurança digital ainda era um assunto pouco debatido.




Desenvolvido por um consórcio da Microsoft, ele foi o padrão de uso para VPNs na época das conexões discadas. Mesmo com mais de 20 anos de idade, ainda é muito utilizado em redes corporativas, principalmente naquelas com a infraestrutura desatualizada.

O protocolo utiliza criptografia de 128 bits, um padrão confiável ainda hoje — embora a própria Microsoft recomende a migração para o SSTP ou L2TP. Como vantagens, o PPTP oferece alta velocidade e é nativo na maioria das plataformas, sem exigir novas configurações por parte do usuário. Porém, hoje seu uso é desaconselhado devido à falhas de segurança.

L2TP/IPSec

O L2TP á uma extensão do protocolo PPTP e é nativo na maioria dos sistemas operacionais, incluindo os de smartphones.

Por não ter opção de criptografia, ele é utilizado em paralelo ao IPSec, serviço capaz de transferir dados de forma segura e baseado em criptografia de 256 bits. Em contrapartida, ele é facilmente bloqueado via firewall, por utilizar somente uma porta de conexão.

Nesse caso, a maior vantagem é a compatibilidade com dispositivos sem exigir que o usuário configure o sistema manualmente. Por fim, o protocolo oferece boa velocidade e segurança de dados, sendo uma ótima escolha para empresas.

SSTP

Desenvolvido também pela Microsoft, o SSTP começou a ser aplicado no Windows Vista e não é compatível nativamente com outros sistemas operacionais. Ele pode rodar também em sistemas Linux, mas requer configurações adicionais.

O protocolo tem suporte a criptografia de 256 bits, e uma das suas maiores vantagens é a sua estabilidade de conexão e seu alto nível de segurança, além de ter boa eficiência contra firewalls e ser fácil de usar.

Por ser propriedade da Microsoft, não se trata de um sistema de código aberto e não há transparência em relação ao uso dos dados enviados aos servidores de VPN.

IKE V2

Também baseado no IPSec para criptografia, o protocolo IKE V2 foi feito em uma parceria entre Microsoft e Cisco.

Diversos sistemas operacionais dão suporte a essa tecnologia, incluindo Windows 10 e distribuições Linux. Apesar disso, o seu uso mais frequente é em dispositivos móveis, voltado para quem precisa de alta segurança e conexão privada.

Como vantagem, o IKE V2 mantém a conexão segura mesmo em casos de queda de Internet, uma garantia extra para a proteção de dados. A estabilidade e velocidade também são pontos interessantes desse protocolo.




Como escolher um protocolo VPN?

Com todas essas informações em mãos, é hora de definir qual é o melhor protocolo para as suas necessidades.

O OpenVPN costuma ser uma boa escolha para diferentes aplicações, com transparência em relação ao seu funcionamento, alta velocidade, estabilidade e compatibilidade com todos os sistemas operacionais.

Por outro lado, a sua configuração é mais complexa em comparação aos demais, o que pode exigir mais investimento para viabilizar o projeto.

Por ser obsoleto, o PPTP não deve ser levado em conta para novas instalações. Nesse caso, o melhor é seguir a recomendação da própria Microsoft e partir para protocolos como o SSTP ou L2TP, duas opções assertivas para redes corporativas baseadas em Windows, mas também aplicáveis em distribuições Linux.

Agora, se a segurança dos dispositivos móveis é a prioridade, a decisão deve ser pelo uso do IKE V2.

Além desses protocolos, existem outros disponíveis no mercado, como SoftEther e WireGuard. O primeiro é baseado no OpenVPN e, assim, oferece grande flexibilidade entre sistemas operacionais e alta velocidade.

Por sua vez, o WireGuard é um sistema novo desenvolvido em busca da melhor performance. Seu objetivo final é criar uma alternativa de criptografia ao IPSec, mas, como o projeto ainda está em andamento, não é recomendada a sua aplicação em larga escala.

Como vimos, existem diversos protocolos VPN que podem ser usados para desviar o tráfego da rede e tornar a sua conexão mais segura. Por isso, é importante considerar as características de cada um e escolher aquele que melhor atenda às suas necessidades.

Conseguiu entender as diferenças entre os principais protocolos VPN? Então, aproveite para saber mais sobre o funcionamento dessa tecnologia!

Content Protection by DMCA.com
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *