4 desafios na segurança e privacidade digital 

0
232
segurança_privacidade_digital

Como manter a nossa segurança e privacidade digital em mundo cada vez mais conectado, onde casas, geladeiras, cafeteiras, carros, TVs e até mesmo corações estão conectados à internet, compartilhando os nossos hábitos, gostos, preferências e dados pessoais?

O artigo 5 da constituição Brasileira é claro ao dizer que a privacidade é um direito inviolável. O que significa que podemos determinar quem sabe o que sobre nós e sob quais condições pode sabê-lo. Mas com tantos dispositivos compartilhando a nossa vida na rede, como garantir isso?

Os desafios, sem dúvidas, são muitos. A gigantesca evolução tecnológica que estamos vivendo e a nossa dependência cada vez maior à tecnologia trouxe uma série de novas ameaças a nossa segurança e ao nosso direito à privacidade, enquanto as leis, apesar dos muitos esforços, não têm conseguido acompanhar de forma satisfatória tantas novidades.

A seguir, você confere 4 dos principais desafios enfrentados quando o assunto é manter a segurança e privacidade digital em um mundo tão conectado e cheio de ameaças. Acompanhe e descubra!

1: Internet of Things (IoT)

A Internet das Coisas, mais conhecida pela sua sigla IoT, é uma das maiores evoluções tecnológicas dos últimos tempos, com o potencial de transformar profundamente o nosso mundo e sociedade. É, também, um enorme desafio a segurança e privacidade digital.

Isso porque o objetivo dessa tecnologia é conectar o maior número de coisas possível a internet: geladeiras, cafeteiras, máquinas de lavar, câmeras, TVs, lâmpadas e uma infinidade de outros objetos. A ideia é interligar todos eles uns aos outros e a rede para enviar e receber dados e até permitir algum tipo de controle remoto.

Assim, embora isso traga inúmeras vantagens e benefícios, qualquer falha de segurança em qualquer uma dessas “coisas” pode representar um sério risco à segurança e a privacidade de seus usuários. Um caso assustador envolvendo marcapassos conectados nos Estados Unidos mostra bem a dimensão do problema.

Em agosto de 2018, cerca de 465 mil americanos foram notificados de que precisariam atualizar seus dispositivos. A ameaça: eles corriam o risco de terem o coração invadido por estranhos por conta de uma brecha de segurança. À distância, criminosos poderiam hackear os marcapassos e alterar seu funcionamento, gerando risco de vida aos seus usuários.




Outros dispositivos, muito mais inofensivos, como uma torradeira ou um brinquedo, podem gerar o mesmo risco quando estão tão conectados como se quer na internet das coisas. Por isso, apesar dos diversos avanços na abordagem desse problema, a IoT representa um desafio tão grande para a segurança e privacidade digital.

2: Anúncios (Ads)

Atualmente, os anúncios te mostram aquilo que você quer comprar, no momento em que você precisa e com uma oferta que muito te interessa. E não é bruxaria. Hoje muito dos nossos hábitos, gostos e preferências podem ser encontrados nos dados que geramos online. Dados estes que são usados por empresas anunciantes como Google, Facebook e Youtube para lucrar.

A proposta dessas empresas é fazer a coleta das nossas informações para oferecerem uma experiência de usuário personalizada. Assim, elas ganham acesso a uma série de dados pessoais sensíveis, que podem ser usados das mais diversas formas. 

Tudo isso, claro, representa um sério desafio à segurança e privacidade digital. Afinal, como garantir a privacidade de alguém quando até mesmo seus desejos mais íntimos estão nas mãos do Google? E se essas informações vazarem, como tem acontecido nos inúmeros casos de roubo de dados que temos visto, como fica a segurança dos usuários?

3: Compartilhamento de dados

Os anúncios representam apenas a ponta do Iceberg. Os nossos dados são compartilhados para os mais diversos fins e são coletados de tantas maneiras que é impossível administrar o quanto das nossas informações pessoais podem cair nas mãos das empresas.

Por exemplo, praticamente todos os sites que visitamos usam cookies para colher os dados dos internautas. Entre eles estão localização, buscas online, histórico de navegação e diversas outras informações sensíveis. Hoje, os sites são obrigados a notificar seus usuários sobre o uso dos cookies, mas isso não resolve o problema.

Nos smartphones, quase indispensáveis atualmente, a questão é ainda mais complicada. Isso porque praticamente todos os aplicativos disponíveis querem ter acesso total a sua vida: contatos, mensagens, chamadas, armazenamento, e-mails, notificações, etc.

Como garantir a segurança e privacidade digital com tantos dados sendo compartilhados? O desafio é grande e não se resolve apenas com um aviso, solicitação de permissão de acesso ou assinatura de “termos e condições”.

4: Falta de uma cultura de cibersegurança

Por fim, desafio mesmo é fazer as pessoas se preocuparem com sua segurança e privacidade digital. Isso porque a maioria de nós não liga se um site está tendo acesso a sua localização ou se importa em ler os termos e condições de um software(alguém lê?).




As pessoas, no geral, não compreendem os riscos que a sua segurança e privacidade correm em um mundo tão conectado e cheio de ameaças, onde até mesmo um brinquedo pode ser usado para espionagem e um coração pode ser hackeado.

Isso deixa margem para que empresas e criminosos se sintam mais a vontade e confiáveis, aumentando o número de ameaças e fragilizando os esforços para a proteção de dados.

Conclusão

Os desafios para a segurança e privacidade digital são muitos e complexos na sociedade atual, tão conectada e dependente da tecnologia. Mas eles são resultados naturais da evolução tecnológica e esforços para superá-los já estão sendo feitos no Brasil e no mundo.

Para os usuários, parte mais sensível em questão, a recomendação é que cuidem da sua segurança e privacidade online. É difícil, mas não impossível tomar um pouco mais de cuidado com os nosso dispositivos e dados.

Entre as atitudes possíveis estão: manter os dispositivos e ferramentas de segurança sempre atualizados, verificar os termos e condições de sites, apps e softwares; limpar os cookies armazenados em sistema e checar as permissões solicitadas por aplicativos. Ações simples, mas muito eficazes.

E você, se sente seguro em meio a tantos desafios a segurança e privacidade digital? Conta pra gente nos comentários! E não deixe de acompanhar o nosso blog para se manter sempre atualizado!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui