Data Center tradicional e Cloud Computing: quais são as diferenças?

Data Center tradicional e Cloud Computing: quais são as diferenças?
por

As diferenças entre ter um Data Center Interno ou utilizar soluções em Cloud Computing há muito tempo vêm gerando dúvidas para as quem planeja implementar novas soluções para a empresa.

Talvez, até por isso, seja bom iniciarmos o nosso artigo com uma definição para cada modelo, a começar pelo data center tradicional — o fato desta solução estar no mercado desde a década de 90 justifica a sua forte tradição.

O data center tradicional é formado por uma grande infraestrutura (interna ou externa) que fornece um ou vários servidores físicos em tempo integral, ou seja, a empresa hospeda os seus dados e serviços num único local para tê-los sempre à disposição. Utilizar um data center tradicional pode trazer um maior custo na compra de equipamentos, e nas necessidades futuras de ajustes, como upgrade de servidores, pode ser um pesadelo para a área de TI.

A computação em nuvem, por sua vez, traz consigo o balanceamento de servidores virtuais em diferentes equipamentos, de forma automática e transparente, priorizando a disponibilidade de sua estrutura. Além disto a elasticidade para  poder aumentar ou reduzir os recursos computacionais, traz uma grande vantagem em relação à custos nesta solução.

Logo de início já podemos notar algumas diferenças, não é mesmo? Mas o que elas refletem na prática? É o que você descobrirá ao longo deste conteúdo. Vamos começar?

Segurança

Garantir que todos os dados estão devidamente protegidos é um aspecto fundamental na escolha pelo serviço ideal. Nesse sentido, a segurança presente em ambos os modelos é alta, mas dependerá sempre de alguns detalhes.

O primeiro deles diz respeito ao fornecedor. Tanto o Data Center quanto o provedor de Cloud Computing qualificados passam pela acreditação de grandes institutos, além de seguirem normas e padrões internacionais.

Quando a questão é contratar um servidor gerenciado por terceiros sem as devidas certificações, não há garantias sobre o sistema de segurança utilizado internamente pelo fornecedor, tampouco sua empresa saberá se os dados estão sendo acessados somente por pessoas autorizadas.


Se a sua empresa trabalha com dados críticos e em hipótese alguma pode correr riscos, os dois modelos oferecem boas soluções de segurança: a implementação de um ambiente interno (privado).

Optar por um Data Center externo, ou ainda um modelo de nuvem privada (ou ambiente híbrido) são alternativas que possibilitam à empresa gerenciar a segurança, seguindo as políticas e configurações que considera adequadas.

Gestão dos serviços

O Data Center utiliza de uma única — porém robusta — instalação, portanto, embora o SLA (Service Level Agreement) possa acordar um determinado nível de disponibilidade, é inegável que o fator elasticidade presente no Cloud Computing traz benefícios.

A falha em um servidor dedicado, no ambiente de um Data Center Tradicional pode deixar sua operação fora do ar, caso você não possua um outro servidor idêntico replicando todo o conteúdo. Por outro lado, na computação em nuvem, a falha em um servidor, faz com que suas instâncias (máquinas virtualizadas) sejam automaticamente migradas para outro hardware, praticamente sem interrupção nos serviços.

Outro favor de grande vantagem do Cloud Computing pode ser a localização onde o fornecedor aloca seus serviços. Se a empresa contratada só possui nuvem no exterior, é certo que a velocidade de acesso não será a mesma em relação a uma infraestrutura localizada no Brasil, portanto busque sempre optar por soluções hospedadas no Brasil, para ter uma ótima velocidade de acesso a sua infra-estrutura e com menos falhas.

Inovação

Os Data Centers têm um histórico que merece todo o respeito, afinal, todas as inovações em termos de armazenamento e servidores que surgiram antes do surgimento da nuvem vieram deste modelo. Esse detalhe faz do Data Center um modelo de serviço bastante sólido e confiável.

A computação em nuvem é a tecnologia do momento. Há alguns anos existia muito receio quanto aos aspectos de segurança, porém, conforme a nuvem se expandiu pelo mercado corporativo, os questionamentos foram desaparecendo aos poucos.

Hoje o Cloud Computing é um exemplo em inovação, seja pelas suas diferentes estruturas e modelos “as a service” (IaaS, SaaS, PaaS etc.), seja pelos produtos e serviços específicos oferecidos pelos fornecedores.

Além disso, a nuvem tem caminhado lado a lado com as tendências do mundo corporativo, como, por exemplo, o conceito de mobilidade nas empresas e conteinerização.

Flexibilidade

A computação em nuvem é amplamente conhecida pela sua escalabilidade, ou seja, a capacidade de fornecer os recursos que o usuário necessita, nada mais, nada menos.

Com isso, caso a empresa tenha que adquirir mais capacidade de processamento e armazenamento, por exemplo, o serviço se adapta automaticamente e a cobrança é proporcional ao tempo e aos recursos utilizados, ou seja, sob demanda.

Essa é uma vantagem que até o momento só pode ser vista no Cloud Computing; nenhuma outra tecnologia tem oferecido flexibilidade a tal nível. O próprio modelo de Data Center fornece os recursos de maneira bem diferente.

Ao contratar um servidor dedicado, por exemplo, a empresa adquire uma infraestrutura definida. Isto é, conforme a demanda aumentar e o negócio crescer, será preciso investir na aquisição de novos equipamentos (em Data Center local) ou ampliar a capacidade contratada.

Sem dúvidas a falta de flexibilidade representa uma desvantagem do Data Center perante o Cloud Computing, pois nem sempre a empresa tem ciência do que realmente precisa.

Para contornar esse problema é preciso contratar uma consultoria, do contrário é certo que a experiência resultará em gastos desnecessários.

Custos

Aproveitando que estamos falando sobre custos, a flexibilidade, como você pôde ver, é uma ótima aliada dos orçamentos. Na medida em que se paga somente pelo que utiliza, o fato da empresa não saber precisamente os recursos dos quais necessita é irrelevante.

O modo como os custos são calculados no Data Center tradicional também torna esta opção mais dispendiosa. Elementos como as licenças de software, consumo de energia, servidores, manutenção, entre outros, são embutidos nos custos com um servidor dedicado.

Quanto aos modelos de serviços locais, as despesas ligadas à infraestrutura e profissionais são equivalentes. O que pode fazer a diferença nesse balanço é a opção do ambiente Hybrid Cloud; no caso, trata-se da contratação dos dois ambientes, possibilitando que aplicações e dados menos cruciais sejam armazenados na nuvem pública, enquanto os críticos são direcionados ao ambiente privado.

Como escolher entre Data Center Tradicional e Cloud Computing?

De acordo com as constatações feitas a partir do nosso comparativo entre Data Center Tradicional e Cloud Computing, ficou nítido que a nuvem possui algumas vantagens em relação ao tradicional Data Center.

Entretanto, fica a ressalva de que existem variáveis no processo de escolha, sobretudo ligadas à qualidade dos serviços de Data Center e Cloud Computing oferecidos pelos fornecedores, ou seja, é fundamental fazer uma pesquisa intensiva antes de fazer a sua escolha.

Agora queremos saber de você: o artigo ajudou a compreender as diferenças entre os modelos de serviço? Compartilhe conosco a sua opinião nos comentários!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *