VPS ou Data Center Virtual: qual é a melhor opção?

VPS-Data-Center-Virtual

Para realizar uma boa escolha, é preciso antes conhecer as opções disponíveis. O que são VPS e Data Center Virtual?

Quais são as diferenças entre uma e outra? Em que contexto elas são aplicáveis?

A evolução da tecnologia vem mudando o modo de fazer negócios. Hoje, uma empresa pode, por exemplo, transferir toda a sua infraestrutura de TI para a nuvem.

Essa estratégia de terceirização pode ser duplamente vantajosa para a empresa em termos de competitividade.

Em primeiro lugar, a empresa pode dar mais foco ao negócio em si. Por outro lado, ao buscar um provedor de serviços de TI, a empresa ganha o acesso a mais e melhores recursos tecnológicos.

Uma vez feita a opção pela terceirização dos serviços de TI, surge outra questão: VPS ou Data Center Virtual?

Embora muitos acreditem que ambas as soluções sejam muito parecidas, há diferenças e elas podem impactar os negócios.

Para esclarecer quais são as diferenças entre um VPS e um Data Center Virtual, e assim auxiliar os gestores em sua tomada de decisão, elaboramos o post a seguir. Acompanhe!

O que é e como funciona o VPS?

VPS é a sigla para Virtual Private Server (servidor virtual privado). Ele também é conhecido como Servidor Virtual Dedicado.

A partir de uma técnica conhecida como virtualização, são criados diversos servidores virtuais, os VPSs, hospedados em um único e robusto servidor físico.

Embora os diversos VPSs de um mesmo servidor físico compartilhem recursos, como o processador, a memória e o disco, cada VPS é completamente independente dos demais, podendo ser dedicado às necessidades de um cliente específico.

Um serviço de VPS pode ainda ser oferecido em dois diferentes modelos: o gerenciado e o não gerenciado (ou semi-gerenciado, ou ainda, auto-gerenciado).

O modelo gerenciado

A contratação do modelo gerenciado tende a ser mais cara, pois o provedor fornece uma série de facilidades, como:

  • A configuração e a manutenção do ambiente, incluindo atualizações do sistema operacional e dos softwares em geral e a correção de bugs;
  • O monitoramento de todo o ambiente, incluindo a rede, o servidor físico (host) e o ambiente de servidor virtual (VPS);
  • A realização de backups de segurança, em alguns casos;
  • O fornecimento de um painel de controle para a administração do servidor.

O modelo gerenciado é mais indicado para empresas que não pretendem manter internamente uma equipe para a manutenção da infraestrutura de TI.

O modelo não gerenciado

No modelo não gerenciado, o provedor se responsabiliza por alguns itens básicos, mas delega outras tarefas ao cliente. Por exemplo:




  • O provedor monitora a rede e o servidor físico (host), mas não o servidor virtual (VPS);
  • O cliente tem acesso ao servidor virtual como administrador e é responsável por:
    • Instalar e configurar os recursos de que necessita;
    • Atualizar e corrigir o sistema;
    • Monitorar o ambiente virtual;
    • Realizar backups;
    • Etc.

A contratação do modelo não gerenciado tende a ser mais barata, mas exige que a empresa tenha uma equipe de TI apta a gerenciar o ambiente.

É também o modelo que dará mais autonomia para a empresa, se esse for um pré-requisito importante.

Vantagens do VPS

O VPS apresenta algumas características que podem torná-lo uma opção bastante interessante, dependendo das necessidades que se quer suprir.

Entre as vantagens, podemos citar:

  • A autonomia: conforme vimos, o VPS se comporta como uma instância autônoma, permitindo sua total customização às necessidades do cliente, seja ela feita de forma gerenciada ou não.
  • Disco e memória dedicados: mesmo com o compartilhamento dos recursos do servidor físico, o VPS tem assegurado um espaço em disco e uma memória dedicados.
  • Escalabilidade: comparado a um data center local, o VPS apresenta algumas facilidades para a expansão de sua capacidade.
  • Segurança: um bom provedor pode dar ao VPS uma avançada estrutura para a segurança dos dados.
  • Baixo custo: o compartilhamento de recursos do servidor físico permite que o VPS apresente custos reduzidos para a empresa.

Desvantagens do VPS

Entre as desvantagens que essa solução pode apresentar, destacam-se:

  • A limitação de recursos: por se tratar de um servidor fracionado que não se comunica com as outras partes, a capacidade de processamento, leitura/gravação em disco e uso de memória podem ser bem reduzidas.
  • O risco de instabilidade: a sobrecarga de um VPS “vizinho”, isto é, hospedado no mesmo servidor físico, pode vir a comprometer o desempenho dos demais VPSs. As falhas de hardware e até mesmo a sua manutenção também podem colocar em risco a disponibilidade do serviço.

O que é e como funciona o Data Center Virtual?

O Data Center Virtual é um conjunto de recursos de infraestrutura em nuvem, projetado especificamente para as necessidades empresariais. Esses recursos incluem processamento, memória, armazenamento e link internet.

Recursos nobres como memórias e capacidades de processamento também são fracionados, como no VPS, mas compartilhados entre os diversos servidores.

Em essência, o Data Center Virtual apresenta conceitos similares aos do VPS, mas conta com tecnologias mais novas e recursos mais avançados.

Entretanto, ao contrário do VPS, o Data Center Virtual (DCV) é composto por um ambiente com inúmeros servidores físicos.

O armazenamento de dados fica a cargo de equipamentos específicos, denominados Storages, formando uma camada separada daquela que lida com o processamento.

Com esse desenho de arquitetura, uma falha em um hardware, por exemplo, é facilmente corrigida com uma rápida migração para outro hardware, já que os dados estão a salvo no Storage.

Em contraste, o VPS mantém todos os dados armazenados nos discos do mesmo hardware que é utilizado para o processamento das aplicações, suas e de seus “vizinhos”.

Como serviço de computação em nuvem, o Data Center Virtual é classificado na categoria “IaaS” (Infrastructure as a Service).

Assim, o acesso à infraestrutura de TI da empresa pode ser feito de forma remota e rápida, a qualquer hora e de qualquer local.

As vantagens do Data Center Virtual

Uma das grandes vantagens do Data Center Virtual está na escalabilidade. De forma simples, é possível promover uma expansão das capacidades contratadas de processamento e de armazenamento, de acordo com as necessidades do negócio.

Não por acaso, o Data Center Virtual vem substituindo o VPS como solução para hospedagem e operação de aplicativos, websites, lojas virtuais, sistemas ERP ou CRM e outras aplicações.

Outra importante característica do Data Center Virtual é a interligação entre seus servidores virtuais (instâncias), já que no VPS uma instância é isolada da outra e nem sempre está no mesmo hardware ou rede para permitir o estabelecimento de uma conexão.

Em resumo, o Data Center Virtual representa uma possibilidade de expansão do Data Center local mantido pela empresa, com vantagens.




Além da escalabilidade, um Data Center Virtual também apresenta como vantagens a maior segurança contra a perda de dados, a economia de custos e a mobilidade operacional.

Desvantagens do Data Center Virtual

A principal desvantagem que podemos citar em relação à escolha de um Data Center Virtual está relacionada ao aspecto cultural.

Ainda é comum encontrarmos gestores e equipes de TI que se opõem à substituição do data center local por um virtual.

Alguns temem pela segurança dos dados armazenados fora dos domínios da empresa. Outros temem as próprias mudanças operacionais que são inerentes à adoção de uma nova solução.

Quais são as diferenças entre VPS e Data Center Virtual?

Fazendo um apanhado das definições acima, podemos estabelecer a seguinte comparação entre VPS e Data Center Virtual:

  • Enquanto o VPS utiliza apenas um servidor físico, dividindo-o entre diversos servidores virtuais, o Data Center Virtual utiliza diversos servidores físicos compartilhados e Storages, aumentando a capacidade de armazenamento e processamento;
  • No Data Center Virtual não há interferências no servidor por sobrecarga de um usuário específico ou por falha de hardware, como acontece no VPS. Isso porque diversos servidores trabalham juntos e de forma compartilhada;
  • Diferente do VPS, no Data Center Virtual os hardwares são separados para atender especificamente às funções de armazenamento e de processamento de dados, agregando alta performance à estratégia e maior disponibilidade;
  • Enquanto o VPS apresenta uma limitação de armazenamento e processamento de dados, que corresponde à própria limitação do servidor físico, o Data Center Virtual permite expandir essas funções por meio de recursos compartilhados com outros servidores no mesmo local. Isso sem qualquer interferência de outros usuários;
  • No DCV o risco de perda de dados é reduzido pela possibilidade de se criar clones e snapshots, armazenando-os em outros HDs e servidores;
  • A continuidade do negócio é mais garantida no DCV, pois além das réplicas de dados, toda a estrutura possui redundância: de rede, discos, storages e servidores, oferecendo assim um melhor suporte para o pleno funcionamento dos sistemas;
  • O esquema de segurança também é mais reforçado no Data Center Virtual, pois é possível controlar quem acessa os dados e qual nível de acesso é atribuído para cada usuário. Além disso, firewalls, criptografia de dados e antivírus capazes de identificar padrões de comportamentos dos usuários complementam os recursos de segurança disponíveis.

Qual opção é mais vantajosa?

Embora a comparação entre as duas soluções pareça amplamente favorável ao Data Center Virtual, principalmente nos aspectos técnicos, a escolha da melhor opção depende, em última instância, da finalidade que se pretende dar a ela.

Assim, para usuários individuais (pessoas físicas), geralmente desenvolvedores testando seus sistemas, ou mesmo para empresas de pequeno porte, o VPS pode ser uma alternativa, tecnicamente suficiente e financeiramente mais interessante.

No caso de empresas com perspectivas de crescimento dos negócios e, portanto, da demanda por recursos de TI, a melhor alternativa é o Data Center Virtual.

Sem dúvida, segurança, alta disponibilidade e escalabilidade são fatores decisivos para a escolha nesses casos.

Conclusão

Alguns estudos de mercado indicam que há uma tendência de migração das soluções VPS para os Data Centers Virtuais. Mas, como vimos, há situações em que o uso do VPS pode se mostrar mais interessante.

Assim, apesar das tendências, parece haver ainda espaço para as soluções VPS. E, de fato, alguns dos principais fornecedores do mercado continuam a lançar novas configurações de servidores nessa tecnologia, oferecendo também novos planos de adesão a seus potenciais clientes.

Os principais serviços de VPS do mercado brasileiro têm, inclusive, agregado às suas soluções algumas tecnologias avançadas, como o armazenamento SSD, por exemplo.

Bem, agora que você já conhece bem as diferenças entre VPS e Data Center Virtual, pode escolher a melhor opção. Aproveite para planejar investimentos mais seguros e certeiros, trazendo benefícios reais e duradouros para o seu negócio crescer e desenvolver um diferencial competitivo forte diante da concorrência.

Gostou das dicas? Compartilhe essa informação com seus amigos nas redes sociais e torne-se influente entre eles!

Content Protection by DMCA.com
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *