7 características indispensáveis para um gestor de TI

0
19
Gestor de TI

O setor de TI se tornou uma das áreas mais estratégicas no mundo corporativo. Qualquer empresa precisa desse setor para existir, vender, controlar e gerenciar dados. E esse cenário coloca o gestor de TI como peça fundamental na sobrevivência e desenvolvimento das organizações.

Seu papel não é mais o de gestor de máquinas, softwares e dados. Ele é responsável pela estrutura e suporte para as diversas áreas, desde vendas, marketing e atendimento ao cliente; até o financeiro, controladoria e contabilidade.

Essa responsabilidade acompanha um perfil atualizado, estratégico e hábil em negociar.

Confira a seguir 6 características indispensáveis a esse elo entre os talentos da empresa e os resultados desejados: o gestor de TI.

1. Entender o negócio

As características do negócio fornecem dados para o gestor de TI atender as necessidades das diversas áreas da empresa.

E, por ser uma área específica, com linguagem própria e desconhecida dos demais, o conhecimento do negócio facilita a comunicação entre os clientes internos e o gestor. O que acelera os processos de desenvolvimento, suporte, manutenção e atualização de sistemas e equipamentos.

O gestor que conhece profundamente o negócio entende melhor as demandas e oferece soluções com menos retrabalho ou  adaptações. O que também facilita processos, gerando soluções eficazes e otimizando a execução de tarefas.

Um conhecimento profundo do negócio também se faz necessário em momentos críticos. Em caso de desastres, por exemplo, a recuperação dos dados  depende de um bom conhecimento sobre como as coisas funcionam.

2. Ter visão estratégica

Indicadores são necessários em todas as áreas. O gestor de TI tem a capacidade de facilitar a consolidação de dados, permitindo análises mais apuradas e efetivas.

Todas as áreas têm técnicas próprias para gestão de indicadores, mas o setor de TI pode elevar a análise de dados a níveis que nenhuma outra área poderia sequer sonhar.




Um bom gestor de TI usa as informações do negócio para antecipar soluções e oportunidades, otimizando processos antes mesmo que os envolvidos possam sentir essa necessidade. Além disso, com uma visão estratégica, ele consegue se antecipar à novas tendências, adotando novas soluções e tecnologias que posicionem a empresa como competitiva no mercado.

E, no mundo atual, essa é uma característica imprescindível. Pois são várias as novas tecnologias e processos que estão nascendo a todo momento. Além das mudanças no comportamento dos consumidores perante a esse mundo altamente tecnológico.

3. Gerenciar sistemas internos

Além da gestão da equipe, como responsável pela produtividade e atendimento às demandas, cabem ao gestor de TI decisões sobre armazenagem de dados, segurança online, offline e definição dos investimentos necessários para a manutenção da infraestrutura.

Ele deve decidir sobre armazenagem em data center local ou cloud computing. Também deve buscar minimizar riscos para a segurança dos dados e a máxima estabilidade dos servidores. Além de estar sempre de olho em novas soluções que optimizem os processos internos e tragam mais produtividade ao setor.

O cuidado com os dados refere-se à história da empresa, informações financeiras, fiscais, de vendas, clientes, dados contábeis e de recursos humanos.

Não se pode, portanto, prescindir de um profissional que conheça todos esses aspectos e se mantenha atualizado em relação às inovações e medidas de segurança.

4. Ser bom negociador

Para que funcione como esperado, atendendo a demanda da empresa, o setor de TI precisa ser bem desenvolvido. E um setor de TI bem desenvolvido envolve a compra de hardware, softwares, upgrades e renovações de licenças. Além de mais uma série de outros investimentos que são de responsabilidade do seu gestor.

Entretanto, a maioria desses equipamentos são bastante caros e habilidades de negociação são necessárias para que o orçamento da empresa não seja impactado negativamente nesses investimentos. Portanto, um gestor de TI precisa ser um bom negociador.

Além de fechar acordos favoráveis à empresa, com uma astúcia de negociação, o gestor de TI facilita o processo de compras e contratação de serviços. Além de dar indicações precisas sobre especificações de produtos e níveis de serviço desejados.

Como integrador de ações e processos, esse profissional estratégico utiliza dos conhecimentos do negócio para impulsionar os gestores a buscar ações de atualização, inovação e conhecimento de novas tecnologias e processos.

Além disso, como o gestor de TI consegue falar a linguagem dos demais gestores, ele passa a imagem de empatia e identificação com suas necessidades e aspirações.

5. Liderança

Guiando um dos setores mais importantes para qualquer empresa atualmente, o gestor de TI precisa se tornar um verdadeiro líder. Hoje, ele não pode mais seguir aquele estereótipo de profissional introspectivo, que lida apenas com os aspectos técnicos do setor e mal fala com os colegas de trabalho.

O gestor de TI atual deve desenvolver habilidades interpessoais e de comunicação, de forma a liderar suas equipes, extraindo o que cada colaborador tem de melhor. Como líder ele deve ser motivado e motivador, pronto a desenvolver competências em si e nos demais, buscando o engajamento.




Ele também deve buscar manter suas equipes produtivas, cobrando e exigindo o cumprimento de prazos. Porém, isso não significa que o gestor de TI deva se transformar na figura autoritária e inflexível de um chefe. A cobrança por produtividade deve existir, mas de maneira saudável e empática com as individualidades de cada funcionário.

Gerir uma área para a qual muitas demandas convergem traz grandes possibilidades. Ser projetado como líder é uma delas.

6. Resiliência

O setor de TI requer resiliência! Fracassos em projetos, fornecedores descomprometidos e usuários que sequer sabem explicar o que precisam são apenas alguns dos problemas que demandam essa habilidade emocional no gestor de TI.

Porém, ele ainda tem que, diariamente, administrar pressões, depender da estabilidade de servidores e velocidade dos equipamentos, lidar com múltiplas equipes e múltiplos projetos, analisar indicadores, projeções; e mais uma série de outros impasses, dificuldades e contratempos que requerem muita resiliência.

Mas um gestor de TI resiliente, além de gerir tudo isso com maestria, tem capacidade para manter a estrutura do negócio, preparando-o para novos tempos, tecnologias e ameaças virtuais.

7. Continuar a crescer e a aprender

O setor de TI está sempre em constante mudança e evolução, exigindo o mesmo de seu gestor. Por isso, esse profissional não pode ficar parado e contente com o que sabe e tem hoje. Ele precisa se manter em contínuo aprendizado, acompanhando as novas tendências do mercado e evoluindo junto com o seu setor.

Portanto, a busca por conhecimento e aprendizado deve fazer parte da rotina do gestor de TI. E essa busca não pode se restringir a habilidades técnicas. A evolução constante desse profissional deve compreender as esferas comportamentais, comunicacionais e tudo que for importante para o negócio.

Mas para alguém que conhece o negócio, o enxerga de maneira estratégica, sabe negociar, fala a mesma linguagem dos demais, atua com liderança e resiliência, e procura aprender cada vez mais, o gestor de TI acabará por ser reconhecido como sua área já é: indispensável.

Gostou do conteúdo? Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e ajude a espalhar essas dicas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui